O teu olhar denuncia,
o desejo alongado
dos poros que vertem magia,
fico pensativo e corado.

Numa promessa silenciosa,
de ilimitadas caricias,
desfaço e descubro,
atreves, jogas, atiças,
e a pele eriça.

Nossas bocas incendeiam,
e em fogo, condimenta,
pouco a pouco, colhendo,
o néctar que alimenta.

Sinto o teu cheiro,
boca desejosa, lingua dormente,
Lábios que sentem, mordendo,
Numa fúria tão envolvente,
como a paixão ardente,
Cai, descansei no teu ventre.

Minhas asas batem em vôo livre
quando desço os desfiladeiro
do devaneio.
Quero que fiques
na minha imaginação
em castelos de principes,
castelos de areia
castelo no coração.

Nos meus pensamentos mais secretos,
fantasias d´outros tempos
num mundo encantado,
com mágicos, fadas e duendes
num cenário imaginado,
eu sei bem que me entendes.

Vôo livre solto como o vento,
toco, sinto e invento.
crio uma moldura quente ou fria
um sonho repleto de prazer
colhido pela fantasia,
faço o que bem entender
sou [Quase]poeta e escrevo poesia
quero brincar, quero crescer

© Mestrinho