Video por spyvspy aka Mestrinho (video produzido em 2009©)

No pálido fresco das árvores que dançam ao sopro do tempo
Lá fora a terra seca bebe na mão da tempestade,
Suspiros e anseios dissolvidos pelo vento
Colho nesta manhã fresca o beijo, a tua castidade
E se isso não é pouco, apaparico a tua vaidade,
Leve e fresco como uma brisa do mar
Um “ar” de devaneio veio para ficar
E no doce embalar das ondas
e ficar assim indignado por uma mudança
Assim tão brusca, assim tão elementar.

Conta-me os teus mais secretos desejos
Os sonhos mais escondidos, os anseios
Fala-me por onde andam as lágrimas
Transporta-me para as ilusões
Vestidas da tua nudez
Vamos reviver tudo outra vez
Antes que o nosso amor seja silenciado
Num Amor louco como amor desesperado
Livres, leves e soltos,


Que palavras poéticas
trariam melhor ética
Que palavras,
seriam susceptíveis a atenção
merecendo todas essas frases críticas.

Enquanto questionava,
transportava nos gestos
o limiar das palavras que brotavam
da boca. Incandescentes
e cruéis como o sentido exacto
das suas origens.
Decifrava e fazia do monólogo
no centro irónico do universo,
com um sentimento travesso.

© Mestrinho