Photo: Keith Nicolson

Hoje,
Ela vem
inteira,
magnifica,
completa,
e transmutada.

Agarra-a.
Vive-a
Diverte-a
Lentamente
Gentilmente
Provocado-a
Loucamente


Em êxtase
Reflectido
de delírio
e condimento.
O AMOR.
Apreciado em
cada ínfimo momento

Nas marcas indissolúveis,
Do dia em que o sentimento nasceu,
para respirar o ar perfumado[.]
Ainda que fora de antever,
eis que surge o sinal acto inconsequente
do desejo que devora o ser.

E na noite escura em que se transformou
na simples, cativante e misteriosa
[salva de açoites que fazem a alma sangrar]
Julgara-se tocada pelo inebriante
perfume másculo.
Julgara que de repente, num instante,
transformar-se-ia em um espectro,
diluído em espaços jamais explorados.
Em mundos de cores
com perfumes,
sabores
e amores.

Eis então...
que abocanhada de um só impulso.
Provou do doce pecado,
em tons de música, tango e fado.

[Embriagadas palavras, faladas na ponta da língua.]
Palavras desconexas,
palavras do sentimento conciso.

© Mestrinho 8 de Junho de 2006