Autor M. C. Escher - Relativity 1953 Lithograph
Cedida gentilmente pelo Site


Bebo de ti ...
Toda a paixão que te resta
Voltas-me as costas ...
E com uma lágrima
celebro o nosso laço,
Desculpas-me?

Bebi demais de ti?
Poderemos sorver o cálice
mais uma vez?
Para juntos bebermos lentamente
a essência da vida
da paixão desmedida
do sentimento traiçoeiro.
O amor, como se fosse o primeiro.
Neste encontro derradeiro.

Aguardo uma eternidade
por uma resposta,
e espero assim perdido
No labirinto deste sentimento Cíclico.
Do limiar do desejo copérnico.


© Mestrinho 2005