Três circunstâncias têm o verso do verbo.
Tem conceito, harmonia e sentido…

Tem conceito: consequentemente,
para dizer que é rítmico e o acento
sabe à música na alma…

Tem harmonia: consequentemente,
palavras que dão forma às melodias,
graves ou agudas…
Melodias na alma que enche o ego,
a quem lê e a quem escreve.

Tem sentido: pela razão,
palavras que expressam sentimentos,
narram histórias,
com a fantasia do verbo,
que vai da prosa ao reverso…

Genuíno e com sentimento,
o verbo chega profundo na alma,
com magnitude estrondosa,
do verso até a prosa.
O verbo que voa livre...


… Porque livre é o verso e livre será a alma!
Livre é o verbo de escritos novos,
com dizeres sábios dos povos.
Onde, revivem mil histórias,
histórias de vidas e de glórias…
Histórias do amor,
com alegria e dor.
Que detalha com calma
A música que vai na alma…

As história que narraram sobre a chave do sol,
com palavras de afeição, esse sussurro nas frases
ecoando épocas doces, outras melodias,
pois, livre será sempre o sonho…
... Porque livre está o verso!
Que com riqueza nas ideias,
dá largas à imaginação, transformando
a canção na luz e no sentimento.
Livre está o verso do verbo
e com ele estará o amor!


© Mestrinho 4 de Março 2006