Antídoto de agonia


Photo: Marisa Caichiolo

Destas ínfimas imagens,
gravadas nos limos da memória
que compõe os versos desta história
Fiquei calado,
de corpo e alma, abraçado,
ensombrado pelo não aproveitamento
de todas as delícias do momento abstracto.
Do acto que admite os mecanismos do desejo
sobra o gesto espontâneo sobre as sete chaves,
deste enigma, pairam a respectivas claves
da fechadura que cede
e por todas as direcções se perde.
Aquele cheiro que flutua no ar
solto, liberto, a divagar
Interessante Mulher em carne
deixa o coração que arde.
Que no grito de voz humana
no fundo do ser emana.
Este doce truque de magia
O verdadeiro antídoto de agonia.

Por isso…

Preparo com amor e com carinho
Em fogo brando
Tempero levemente com o orégãos
Cubro de alecrim
Saboreio aos poucos
Aqui e agora, este
Desejo é de loucos.

Antes que possas perceber
O que está a acontecer
Preparo novamente
Corro em tons suaves e roucos
Devoro aos bocados
Admirando, a "presa" nos meus braços
nesse doce devaneio,
consumido antes do cansaço.

Terminado o ritual
Em acto glorificado
Cruzamos nossas almas
Pensamos em harmonia [Tem dias…],
pois cometemos o delito sem pressas,
nas calmas.

No cálice, sorvemos a seiva da feliz alma que deixa o coração a palpitar.
Sentimento em turbilhão,
como a força de furacão.

Desejo, profundamente...

Alimento...

Guardarei um pouco de ti, pois amanhã ainda é dia.

© Mestrinho

Comentários

Papoila disse…
Mestrinho Magnífico este hino. Lindíssimo e a alegoria à história, ao cálice da vida fascinou-me. Beijo
The Woman +K(P) disse…
Somente soberbo... e sem necessidade de antidoto, pois é apaixonante...
Jinhos ternos
Carla disse…
Ha muito que nao passava aqui,suprrendemte como sempre!

Alimento esse ?!
Para mim...sangue,alma,veias,pulsar,paixao
polittikus disse…
Adorei as tuas palavras, mas amar não se prepara aparece até doer.
neith disse…
Tinta que delira entre as linhas do poema, gravita aquática num impulso forte...misturados poeta e emoções fecundam no cônscio e no ébrio a chama do desejo...magnifico poema!! Um beijo enorme
laddy C disse…
Oi,
Não há antidoto para a agonia e o sofrimento no amor!
A espera corroi e desgasta...
Maravilhoso poema como todos os outros que tenho lido ao passar aki.
jinhos
Sara Calado disse…
Mestre, fiquei deslumbrada com o poder das palavras, do sentido, do sentimento por ti tão bem descrito. Uma autêntica experiência de vida, no poema anterior "Eu Deus de mim. Embebido de ti, deusa de ti própria" falas do crescimento, aqui demonstras-o com mestria. Tens uma transparência positiva que replandece a beleza do amor, do carinho quase erótico. Um bjo
tesouromio disse…
Fiquei entusiasmado pelas lindas palavras que li força continua
Solzinha disse…
Foi com imenso prazer que recebi a asua visita.
Depois de visualizar o seu blog resta-me desejar-lhe os parabéns pois adorei este agradavel espaço...
Continue sempre...
Sempre que tenha oportunidade "visite-me" que eu farei o mesmo...
Com um beijinho enorme...

Mary
Para ti disse…
Alimentar o dia seguinte...
Um beijo para ti
Cris disse…
E quem disse que a culinária era um universo cheio de sabores ainda inexplorados nunca esteve mais certo... Jinhos :)
As vezes nao sei q te dzr, nao pq nao gosto, mas sim pq receio tornar-me competitiva ao dzr q gst e mt. jks
Doryanne disse…
Começo a ficar sem saber o que dizer das tuas palavras...

Sei que gosto;
que me prendem ao ecrã

E que muitas delas me fazem viajar...

Beijokas amigo*
pipetobacco disse…
{ ...

© .8.

hoje estou no sabor das coisas
assistido e gasto pelo tempo
tão sentido que me permite
e somente, sobrevivo (pouco)
deixo.te como se meu fosse:


«

O inquilino

a Paul Bowles

Soava na rua uma gravação da confraria gnaua
num charco turbulento
e o inquilino despertou confuso,
numa profunda sensação de desamparo.
Passou a vista pelo quarto em penumbra
e advertiu que ainda lhe faltava servir
sua acostumada infusão de especiarias
e com o coração fúnebre de uma rosa
me confessou que dormiu vestido.
Disse-lhe que também acordara
com gosto de areia na boca
e que nunca havia assistido a uma cerimônia secreta
de ñáñigos em Cuba. Ele sim.
O dia havia começado com signo favorável
e de novo se escutou a música na rua,
um grito de mulher, e as palavras deixaram o significado
para ser doce deleite do idioma
no mormaço salobro da tarde.

El inquilino
Rodolfo Häsler
a Paul Bowles

»

abraço

... }
Ofeliazinha disse…
Lindissima imagem. Gosto muito da entrada no blog. :)
Rô sensualidade disse…
Adorei seu tempero !!! e todos os ingredientes....demais!
beijos carinhosos e bom findy!
TuNaNa disse…
passei aqui por acaso
gostei
e
voltarei :)

blog sedutor
blog interessante

beijo
**Tunana**
amita disse…
Saborear a poesia é isto. Não há dois momentos iguais. O que ela hoje nos dita,amanhã quem sabe o que cantará. Surpresas em turbilhão a tornam bela e digna.
Um bjo e uma flor, poeta

Mensagens populares