Em tempos de tristeza
Colhi do passado um fresco alento
De jovens em fase de intento
Que nas frustrações,
desesperos e ilusões.
Palidamente, desistira da eternidade
Desistira de tocar o infinito
Sei bem que não me compreendes.
Sei bem que já estive mais perto do entendimento.
E o único que sinto
É este momento.
E tudo o que tenho para respirar
É o breve alento, o de te amar
Porque cedo ou tarde
Tudo pode acabar.
doce saudosismo
que aparece como um cismo
E torna o pensamento em um cataclismo.

A Mulher
A debilidade.

Docemente recordo-me
Dos tempos vividos
Dos sentimentos queridos
Das situações causadas
Dos nossos caminhos pelas estradas,
Da vida
Das nossas cumplicidades conhecidas.

O coração
A emoção

Em jeito de lobo mal
Boca grande
Que excita
Que convida
Ao acto selvagem.
O desejo animal,
O prazer carnal
Desta força fenomenal
Não houve amor igual.
Vem, volta ao calor intenso
Tenho a certeza que ele será imenso.

© Mestrinho 20 de Maio de 2006