Photo: Sensual touch
Author: unknown


Por razão desta consciência.
Nasceu a consequência
Fruto de uma resistência,
A causa da mente aberta...
Um desejo, como a saudade que aperta.

Em forma meio desconexa
Descreverei actos complexos
Falarei de tudo sobre o teu sexo.
Como uma chave na fechadura
Um prazer que dura,
sim, na tua boca,
na tua pele,
na onda dos teus cabelos,
nos teus pêlos,
Dar-te-ei gargalhadas,
quando um suspiro teu, brotar rouco
da garganta,
fugindo pela língua, pelos lábios,
esse teu expressar sábio,
que voa directo aos meus sentidos.
causado a chama que arde trémula,
dar-te-ei a minha ávida masculinidade
que se mesclará com a tua feminilidade
de seda, no reino da fertilidade...
Beber-te-ei essa paixão, no teu suor,
na boca que vasculha
nas tuas pernas entrelaçadas,
nas mãos, nas ancas astutamente,
em jeito de afinidade, desejo,
puro, simples, na pele e no teu cheiro.
Para ti preciso ser tarado, louco, atrevido, alucinado.
Preciso ter encanto, magia e meiguice no olhar
Preciso ser um cavalheiro
Um Homem por inteiro
Preciso ser um sonhador
O que te leve ao delírio
Que te trate como uma mulher, amada e amante
Que te trate como uma menina mimada
Que te dê colo e afague os cabelos entre beijos
Que te dê a loucura desvairada
Que te olhe todas a manhãs de cabelos despenteada
No silêncio deste morno entardecer.
Pois de ti só preciso essa afirmação de Mulher,
Para te penetrar no corpo,
no cheiro no teu desejo
E antevejo
A tua carícia violenta,
o acto que condimenta,
os delírios insanos.
Que invade com calor
Onde em cada recanto do corpo
palpita o desejo,
do teu corpo branco e sensual.
Colho a húmida flor, inquieta.
E ao caminho das curvas, a língua
que maliciosamente, busca a verdade,
Do aroma morno da intimidade e
êxtase desordenado...

Adoro-te pelo dia...
Amo-te de noite
Sou a tua loucura... o teu desatino...
Brinca comigo e deixa-me...
Encantado...
Deleitado...
Um escravo...
Selado, lacrado, domado...
Quando na elipse da tua vulva
se dá o encontro casual
do meu lábio no teu, prazer cordial.

De pele nua,
surge o apelo que insinua,
na boca desperta
que se esfrega na tua.
De peito aberto,
O toque que incendeia...
Como a chama contida
Que o teu corpo irradia!!
Na pele,
na boca,
na carne linda e nua,
brilham gotas
o néctar da tua flor...
Deixam rastros,
como os caminhos da vida...
E que tornam a vida,
um sonho de amor..


© Mestrinho 8 de Junho de 2006