Mais forte que a melancolia
A mão escorregadia,
que desliza na pele macia,
em plena ousadia,
húmida como uma melancia.

Aquece a orelha fria,
Com sussuros que arrepia
Entrando envolvente,
Queimando o ventre,
em sintonia como a arte e a magia.

O beijo molhado,
O abraço aconchegado,
O corpo "malhado",
Em jogo entrelaçado,
sem nada ter escapado.

O olhar colorido,
em meio atrevido,
um desnudar genial,
Em acto sensual,
Como o som de um gemido.

O desejo desmedido,
num pedido rouco,
Que quer de tudo um pouco,
E quer mais que um louco,
O pecado a preceito.

Amor ou paixão?
Encanto ou poesia?
Sexo ou magia?
Ou fruto da fantasia.

Somente tu e eu,
Sinto-me um Romeu,
Tal como proteu,
Deus do mar que vê e me prometeu,
Que este encontro era meu e teu.

Eu sou um espião que espreita por entre a vida,
Preso na fantasia,

© Mestrinho